Notícias

Tudo sobre a tireoide: conheça distúrbios, sintomas e tratamentos


Tudo sobre a tireoide: conheça distúrbios, sintomas e tratamentos

A tireoide é uma glândula situada no pescoço, responsável pela produção de hormônios reguladores do organismo humano. O formato, semelhante ao de uma pequena borboleta, guarda uma estrutura que influencia a função de órgãos como o coração, o cérebro e os rins. Além disso, tem atuação no crescimento, no peso, na memória e, nas mulheres, na regulação dos ciclos menstruais.

Os distúrbios relacionados à tireoide aparecem quando a glândula não funciona de maneira correta. Se há a liberação de hormônios em quantidade insuficiente, o indivíduo desenvolve o hipotireoidismo. Por outro lado, quando os liberamos em excesso, a doença gerada é conhecida como hipertireoidismo. Nos dois casos, o volume do órgão pode aumentar, gerando outra disfunção: o bócio.

Em geral, as causas dos problemas na tireoide são de origem congênita. Isso significa que são o resultado do uso de medicamentos ou de transtornos autoimunes. Mesmo assim, hábitos danosos à saúde também podem prejudicar a produção ideal dos hormônios. Os exemplos, nessas situações, incluem o sedentarismo e uma dieta rica em carboidratos e açúcar.

Sintomas e tratamentos da tireoide

No hipotireoidismo, com a pouca geração de substâncias, os principais sintomas são a frequência cardíaca reduzida, o aumento de sensibilidade ao frio e a prisão de ventre. É possível, ainda, que a pessoa com o distúrbio sofra com depressão, formigamento nas mãos e ressecamento de pele. Com hipertireoidismo, os sinais são perda de peso, aumento da pressão arterial, diarreia, fraqueza muscular e mudanças no ciclo menstrual.

Como citado, em decorrência das doenças, é possível apresentar o que chamamos de bócio, um aumento do volume do pescoço. O crescimento leva a indícios como dificuldade de engolir, tosse, sensação de falta de ar e rouquidão. Para chegar ao diagnóstico dos distúrbios, são realizados exames físicos, apalpando a região da tireoide, exames de sangue e ultrassons para analisar o tamanho da glândula.

Finalmente, o tratamento das patologias depende, diretamente, do tipo de disfunção apresentado. Pode englobar, então, acompanhamentos clínicos, uso de medicamentos de forma regular e iodoterapia. Dependendo do estágio, uma cirurgia pode ser necessária. Ao apresentar sintomas, é fundamental procurar um profissional da saúde para investigação. Com o pedido de exame, basta procurar a unidade do Laboratório Carlos Chagas mais perto de você. Lembre-se sempre: a prevenção é o melhor remédio.