Telefone para contato
Facebook

11 dicas importantes na prevenção do câncer de pele

O câncer de pele é o tipo mais comum no Brasil, representando 25% de todos os tipos de câncer, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA). Dados também revelam que há mais de 135 mil novos casos de câncer de pele a cada ano.

Uma das principais causas do câncer de pele, doença provocada pelo crescimento anormal e descontrolado das células da pele, é a radiação ultravioleta, responsável pelo desenvolvimento de tumores cutâneos.

Um dos principais fatores de risco para desenvolver esse tipo de câncer é a exposição excessiva aos raios solares e o uso de câmaras de bronzeamento artificial. Outros fatores que podem implicar o surgimento são o número e os tipos de pinta que existem no corpo e a genética.

Os tipos mais comuns de câncer de pele são os basocelulares e os espinocelulares, entretanto o melanoma é o tipo mais raro e agressivo. Conheça um pouco mais sobre cada um logo abaixo.

Carcinoma basocelular (CBC)

Tipo de câncer de pele mais comum entre a população, o carcinoma basocelular possui baixo índice de mortalidade. Caso descoberto precocemente, as chances de cura são grandes. Os locais do corpo com mais chances de desenvolver esse tipo de câncer são os que ficam mais expostos ao sol, como pescoço, rosto, orelhas, ombros e costas. O tipo mais encontrado é o nódulo-ulcerativo, que se traduz como uma pápula vermelha, brilhosa, com uma crosta central, que pode sangrar com facilidade.

Carcinoma espinocelular (CEC)

Esse é o segundo tipo mais comum de câncer de pele. Todas as partes do corpo humano podem desenvolver a doença. Entretanto, assim como o carcinoma basocelular, as áreas mais expostas ao sol possuem mais chances de apresentar o câncer. Normalmente, a pele nessas regiões apresenta enrugamento, perda de elasticidade e mudança na cor.

Esse tipo de câncer é mais frequente em homens do que em mulheres. O sol é o principal responsável pelo surgimento, mas alguns outros fatores também podem desencadeá-lo, como feridas crônicas e cicatrizes na pele, uso de drogas antirrejeição para transplantes de órgãos e exposições a agentes químicos e radiação.

Sua manifestação na pele surge como colocações avermelhadas na forma de machucados ou feridas espessas que não cicatrizam e sangram ocasionalmente. Ele também pode ter a aparência de verrugas.

Melanoma

Esse é o tipo mais raro de câncer de pele e o que possui maior índice de mortalidade. O melanoma, entretanto, possui 90% de cura quando diagnosticado precocemente. Seu aspecto se assemelha a uma pinta de colocação acastanhada ou escura. Esse tipo de pinta, quando originada pelo melanoma, pode mudar de cor, tamanho e formato, além de causar sangramento. A melhor forma de identificar esse tipo de câncer é observar com cuidado as pintas do corpo, procurando logo um médico caso haja alguns dos sinais citados. O melanoma normalmente surge em áreas mais expostas aos raios solares e pode se manifestar mais facilmente em pessoas com a pele mais clara.

Como se prevenir?

protetor

Fique atento a algumas medidas preventivas que vão ajudá-lo a se prevenir contra o câncer de pele:

  1. Evite a exposição solar excessiva entre 10h e 16h;
  2. Ao se expor, utilize chapéus, guarda-sóis, óculos escuros, camisas de mangas longas e filtros solares;
  3. Durante o lazer na praia ou na piscina, opte por barracas e guarda-sóis feitos de algodão ou lona. Evite utilizar os de nylon, pois a barreira formada por esse material deixa passar 95% dos raios UV;
  4. Sempre que possível, fique na sombra. Áreas de sombra reduzem em até 50% a intensidade das radiações UV;
  5. Os protetores solares devem ser usados de acordo com seu tipo de pele. O real fator de proteção varia com a espessura da camada de creme aplicada, a frequência da aplicação, a transpiração e a exposição à água. Os filtros solares devem ser aplicados 30 minutos antes da exposição ao sol e reaplicados a cada duas horas ou após nadar, suar e se secar com toalhas;
  6. Não utilize câmaras de bronzeamento artificial;
  7. Observe regularmente sua pele, ficando atento ao surgimento de pintas e manchas diferentes;
  8. Procure um dermatologista uma vez ao ano;
  9. Ao se expor ao sol em grandes altitudes, fique atento a alguns cuidados extras. A cada 300 metros de altitude, aproximadamente, aumenta em 4% a intensidade da vermelhidão produzida na pele pela luz ultravioleta. A neve, a areia branca e as superfícies pintadas de branco são refletoras dos raios solares;
  10. Mantenha bebês e crianças protegidas do sol. Crianças a partir dos seis meses de idade já podem utilizar protetor solar.